Sem reality com tretas, Record não quer perder audiência e se arma com Futebol para incomodar rivais

Gabriel Correa
Por Gabriel Correa

A Fazenda 13, não repetiu os mesmos números da temporada de 2020, só que conseguiu ficar na casa dos dois dígitos e colocar a Record em primeiro lugar por vários momentos. E também fez a Record lucrar milhões no cofre. Só que o reality está acabando, a final está prevista para acontecer no dia 16 de dezembro.

E sem o reality show, que é comandado por Adriane Galisteu, a Record vai ter uma missão complicada, ou melhor quase impossível, de segurar o público e manter a vice-liderança no horário.

A Record vai dar uma pausa nos realitys de confinamento, que tem volta marcada para depois que o BBB22 terminar. Ou seja só em maio, que vem o Power Couple, depois Ilha Record e A Fazenda, como ocorreu neste ano.

Mas, a emissora está apostando todas as fichas no Futebol, em janeiro tem o Campeonato Carioca e o Paulista. E a direção está apostando tudo na cobertura. É uma tentativa de segurar assinantes no PlayPlus e também de seguir firme e forte na briga por audiência.

Com os regionais mais assistidos, a emissora quer bater recordes de audiência. E também incomodar a concorrência. E está apostando em nomes conhecidos do esporte. Como por exemplo Márcio Canuto e Marco de Vargas.

Categorias

Tags

Compartilhe este artigo